Chão liso, pedras e raízes marcam trilhas de Nova Bréscia (RS) pelo Brasileiro de Enduro

27/09/2021

Com alto nível técnico no percurso, penúltima prova da temporada 2021 cumpre objetivos da organização

 

A prova de Nova Bréscia (RS), a quinta e penúltima do Campeonato Brasileiro de Enduro 2021 para motocicletas, foi marcada por alto nível técnico. O evento cumpriu os objetivos dos organizadores e foi aprovado pelos pilotos e equipes após dois dias de disputas, encerradas neste domingo (26/9). As especiais (trechos cronometrados) testaram as habilidades dos competidores em trilhas de chão liso e escorregadio, com obstáculos como pedras, buracos e raízes de árvores. 

 

A programação incluiu três voltas por dia em um circuito de 48 quilômetros, o qual teve três especiais: Enduro Teste KTM, com 4,3 km; Enduro Teste Honda, com 5,4 km; e Cross Teste TM DYVA, com 4,2 km. Esta foi a terceira vez que a cidade de Nova Bréscia recebeu uma prova do Brasileiro de Enduro, as outras foram nos anos de 2014 e 2019. 

 

“Estou muito satisfeito, não tivemos nenhum imprevisto. As especiais estavam ótimas e o pessoal gostou bastante. O sol também veio e agradou todo mundo. Foi um bom espetáculo para o público e para os pilotos”, analisa Ricardo Zambiasi, o Sekinha, presidente do Mentirosos Moto Clube, responsável pela organização local.  

 

Maurício Brandão, promotor do campeonato, elogiou os parceiros na realização do evento. “Foi uma prova muito bem planejada, executada com perfeição pelo Mentirosos Moto Clube. Todos estão de parabéns pela execução da tarefa. Nova Bréscia nos recebeu com hospitalidade e muito carinho, colocando à disposição ótima infraestrutura e tudo que foi possível para que o enduro fosse realizado da melhor forma. Isso é fundamental nesse momento de retomada dos eventos por conta da pandemia, para que o enduro possa colaborar cumprindo as normas preventivas ao coronavírus. Os protocolos foram seguidos com rigor entre os participantes e a população bresciense, agradeço o apoio de todos’, concluiu Brandão.  

 

Confira o que disse grande parte dos vencedores da prova de Nova Bréscia:

 

Bruno Crivilin (equipe Honda Racing, vencedor da categoria E1) – “Mais um ano em Nova Bréscia, o pessoal daqui capricha muito na prova. Como o esperado, o terreno estava mais liso no sábado, já que choveu um pouco durante a semana, mas depois saiu o sol e ficou bonito, começou a secar o chão. As especiais ficaram bastante esburacadas e com canaletas, porque estava molhado. Já no segundo dia de prova teve sol desde cedo. Estou muito feliz, porque consegui impor um ritmo de corrida bem forte e saí com mais uma vitória, consegui colocar a equipe Honda Racing no lugar mais alto do pódio novamente”.

 

Vinicius Calafati (equipe Honda Racing, vencedor da categoria E2) – “Nova Bréscia tem um terreno técnico e difícil de andar, bem molhado, com bastante raiz e pedra. Fui um pouco abaixo do que eu queria no primeiro dia de prova, tive dificuldade para forçar o ritmo por conta do chão liso, mas consegui a vitória. Neste domingo, entrei mais focado e imprimi um ritmo mais forte desde o início. Foi um bom fim de semana e a prova estava ótima, parabéns aos organizadores”.

 

Vitor Borges Garcia (equipe TM & IRP Team, vencedor da E3) – “Finalizei a prova de Nova Bréscia e foi bem difícil. Apesar de não ter chovido, as especiais estavam técnicas e lisas, um tipo terreno bem diferente do que estou acostumado. Consegui me concentrar, manter uma boa constância e vencer os dois dias de prova. O resultado rendeu pontos importantes para o campeonato, agora vou focar na prova final, em novembro”.

 

Patrik Capila (equipe MXF, vencedor da EJ) – “Foram dois dias de prova com chão liso, ficou um pouco mais seco neste domingo, e as especiais estavam bem técnicas, com bastante pedra. Tive um pouco mais de dificuldade no segundo dia para manter um bom ritmo, mas mantive a tocada e consegui conquistar a vitória da categoria – e com segurança, o que foi o mais importante. Agora vou para a final em Mairiporã (SP), para me sagrar campeão brasileiro”.

 

Felipe Legarrea (equipe MXF, vencedor da E4) – “Prova bem lisa e técnica, cometi alguns erros e fiquei em segundo nas disputas deste sábado. No segundo dia, consegui imprimir um ritmo bom e deu tudo certo, saí com a vitória”.

 

Gustavo Pellin (equipe Time Line Racing, vencedor da E35) – “Prova muito bem organizada, com especiais técnicas. O primeiro dia estava com chão muito liso. Nova Bréscia fica a duas horas da minha casa e é um lugar que eu ando bastante, então fui muito bem, consegui ir me soltando a cada volta. No segundo dia, comecei um pouco lento, mas consegui andar bem novamente, me encaixar na moto. Estou muito feliz com o resultado”.

 

Michel Cechet (vencedor da E40) – “Estou satisfeito e até surpreso com a vitória, porque faz mais de dois anos que estou sem competir pelo Brasileiro – a última vez foi na prova de Nova Bréscia, em 2019, quando tive problemas mecânicos e abandonei no primeiro dia. Estou a 200 km daqui, então aproveitei para participar novamente. Foi muito bacana, estou feliz. As especiais estavam ótimas, bem no estilo da região, e exigiram muito dos pilotos”. 

 

Márcio Tazinazzo (equipe HSS, vencedor da E45) – “Foi uma das provas mais difíceis que eu participei, com muita pedra e lama. É a primeira vez que nós, da equipe HSS, estamos competindo em todas as provas do Brasileiro, então estamos aprendendo a cada disputa – e essa de Nova Bréscia, sem dúvidas, foi uma das mais difíceis”.

 

Manoel Simas (vencedor da E55) – “Estou muito satisfeito com o resultado da prova de Nova Bréscia e com o meu desempenho no campeonato, já que ninguém mais pode me alcançar na pontuação. Vou para Mairiporã (SP) completar o campeonato todo”. 

 

Jonas Sawan (vencedor da EAmador Nacional) – “A prova foi bem típica da região sul, com especiais lisas e, para dificultar, muitas raízes e pedras. A parte física contou bastante, mas consegui sair vitorioso nos dois dias de prova”. 

 

Leonardo Kauffmann (equipe BMT, vencedor da EAmador Importada) – “Estou muito contente com o resultado, foi a minha primeira vitória na categoria. A prova estava difícil, com chão muito liso, e as pedras que foram surgindo no caminho complicaram um pouco mais. Já estou pensando na próxima, a prova final em Mairiporã (SP)”.

 

Resultados do Campeonato Brasileiro de Enduro 2021. VEJA AQUI

 

 

Mundo Press

 

Voltar