SARR 2021: Brasileiros comemoram título internacional de Rally na Argentina

01/03/2021

Fotos: Arquivo Pessoal

 

Quem tinha dúvidas sobre o potencial dos pilotos brasileiros na direção dos UTV's agora têm certeza do que eles são capazes. A equipe verde e amarela encarou com maestria o roteiro árduo de 3.400 km do SARR (South American Rally Race) 2021, que aconteceu entre os dias 18 e 27 de fevereiro, em La Rioja, Argentina, e voltou com grandes resultados. O percurso foi dividido em oito etapas e também cruzou as Províncias de Salta e Catamarca.

 

Entre os destaques está a vitória de Rodrigo Luppi e Maykel Justo, que levaram a melhor na na categoria T3.1 e ainda levantaram a taça de campeões gerais do Rally. No início a dupla passou por dificuldades com a perda de potência no veículo - consequência do uso da gasolina que apresenta uma fórmula diferente da produzida no Brasil. Contudo, driblaram a situação e conseguiram imprimir um ritmo acelerado até cruzar a linha de chegada.

 

“Tivemos dificuldades desde o prólogo, com a altitude, com a gasolina, mas o Maykon além de um bom navegador é um excelente mecânico, fez o que precisava fazer e conseguimos terminar. E o legal é que em nenhum momento furamos pneu ou estouramos a correia, então para andar rápido não tivemos que sacrificar o equipamento. Mantivemos a mecânica do carro perfeita”, conta Luppi, reconhecido como piloto mais rápido da competição.

 

Bruno Conti e Filipe Bianchini levaram o título dos utilitários na T3.2. É a primeira vez que a dupla pisou em solo internacional para competir. “Além de tudo, o UTV deles é o modelo 2021, com suspensão eletrônica, e eles se saíram muito bem com as novidades. Fizeram uma prova 100% lisa, sem nenhum problema no percurso ou no veículo”, ressalta Eduardo Piano, chefe da equipe Território Motorsport, que representou o Brasil.

 

O itinerário teve vários trechos por onde já passou o Rally Dakar, na época em que a competição foi disputada na América do Sul. A geografia da região argentina favorece a prática do rally, por isso é tão visada pelos pilotos que querem dar um salto para a competição mais extensa da modalidade. 

 

 

“A prova aqui é muito dura, com um nível de dificuldade extremamente alto do primeiro ao último quilometro. Ela exige demais do equipamento, da pilotagem, da navegação, então a equipe tem que estar muito bem preparada para conseguir terminá-la”, diz Piano.

 

O navegador Maykel Justo, por exemplo, carrega na bagagem dez participações no Rally Dakar, enquanto seu companheiro, Rodrigo Luppi, se prepara para estrear em 2022. 

 

“O SARR é uma prova cansativa, com muita diversidade de terreno. Andamos em rio seco, nas dunas, em algo que eu nunca tinha ouvido falar, que chamam de ‘Erva de Camelo’, que é uma vegetação em meio às dunas. Andamos em lugares descampados, parecidos com o cerrado. Então, para mim, serve como treino também”, fala Luppi.

 

 

A South American Rally Race reuniu competidores de 11 países e um total de 85 veículos. Os campeões da edição 2021 foram: Ontiveros Alberto (motos), Andrés Frini (quadriciclos), Rodrigo Luppi/Maykel Justo (UTVs) e Juan Yacopini/Alejandro Yacopini (carros).

 

A CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo) parabeniza os pilotos que representaram o país na competição.

 

Resultados:

Categoria Q1

1 Andrés Firini #52 (Argentina)

2 Tomas Barria D'Avis #68 (Argentina)

3 Facundo Viel #65 (Argentina)

 

Categoria M1

1 Puchi Ontiveros #06 (Argentina)

2 Santiago Michelud #03 (Argentina)

3 Joaquim Debeljuh #07 (Argentina)

 

Categoria T1.1

1 Juan Yacopini/ Alejandro Yacopini #101 (Argentina)

2 Javier Bobadilla/ Adriano Dibatista #113(Argentina)

3 Francisco Castro/ Daniel Lopez #102 (Argentina)

 

Categoria T3.1

1 Rodrigo Luppi/ Maykel Justo #207 (Brasil)

2 Jeremias Fireoli/ Gonzalo Rinaldi #201 (Argentina)

3 Federico Echegaray/ Lisandro Sisterna #202 (Argentina)

 

Categoria Q3

1 Eduardo Gianarello #92 (Argentina)

2 Matias Canalis #95 (Argentina)

3 Ian Aburgeily #96 (Argentina)

 

Categoria Q2

1 Julio Estanguet #71 (Argentina)

2 Carlos Di Natale #80 (Argentina)

3 Puma Nicolas #82 (Argentina)

 

Categoria M2

1 Diego Roldan #45 (Argentina)

2 Mauricio Cueva #42 (Venezuela)

3 tatta Bonetto #44 (Argentina)

 

Categoria T3.2

1 Bruno Conti/ Felipe Bianchini #256 (Brasil)

2 Rafael Sendra/ Fernando Martinez #258 (Argentina)

3 Nico Stratico/ Tomas Rodriguez #254 (Argentina)

 

Categoria N1

1 Jose Yampa #311 (Argentina)

2 Ruben Lagoria #354 (Argentina)

 

Categoria N3

1 Cleoris Manfe/ Ramiro Corvalan #401 (Argentina)

2 Marcos Lopez/ Dino Barnabo #405 (Argentina)

3 Eduardo Mastantuono/ Orlando Garay #406 (Argentina)

 

 

Fonte: Confederação Brasileira de Motociclismo

Voltar