CBM e SuperBike Brasil falam das ações em conjunto em coletiva de imprensa

27/09/2019

CBM e SuperBike Brasil falam das ações em conjunto em coletiva de imprensa

27/09/2019

CBM e SuperBike Brasil falam em coletiva de imprensa sobre a nova parceira.

A Confederação Brasileira de Motociclismo e a organização do SuperBike Brasil estiveram reunidas ontem (26) em São Paulo (SP) na coletiva de imprensa que reuniu jornalistas de grandes veículos de imprensa, empresários do setor e autoridades para falar da nova parceria estabelecidade entre elas.

Esta união após anos de avaliação finalmente foi consolidada. Para o presidente da CBM, Firmo Henrique Alves este será um trabalho em conjunto e detalhado. "Recentemente trouxemos um vistoriador da FIM para avaliar o autódromo de Interlagos. Ainda aguardamos o resultado do laudo, mas acreditamos que até o final do próximo ano os ajustes necessários no circuito bem como o alinhamento técnico da competição junto a CBM devem estar finalizados" - comentou Firmo.

Durante a coletiva a seguridade dos circuitos para receber provas de motovelocidade também foi abordada. Firmo reforçou a importância dos gestores dos autódromos se atentarem às adaptações de segurança para receber a modalidade, uma vez que a maioria dos circuitos no Brasil foi construído pensando em competições para carros.  "Nem sempre onde anda carro anda moto, e vice-versa. Temos como missão, eu enquanto gestor da CBM, em mudar a mentalidade das pessoas para esta questão. Muitos autódromos querem receber a motovelocidade, mas não possuem segurança adequada para a competição.", disse o presidente lembrando do trabalho já realizado em Curvelo(MG), hoje um dos autódromos mais bem preparados tecnicamente para receber a modalidade.

Firmos Alves, presidente da CBM e Bruno Corano, idealizador da SuperBike Brasil, juntos em prol da motovelocidade.

Esses trabalhos abrem a possibilidade de reformulações e melhorias do posicionamento, do papel e dos serviços desempenhados por toda comunidade de motovelocidade nacional. Institui-se assim, a partir da CBM, o programa de Segurança Desportiva da Motovelocidade, para avançar ainda mais nas discussões e no desenvolvimento de processos e regulamentações relacionados à segurança desse esporte. Medidas que chegam para diminuir fatores de riscos e consequetemente também a estatística de acidentes graves em campeonatos.

 

Coletiva reuniu além das insituições oficiais do motociclismo, jornalistas, empresas e autoridades do segmento.

 

Outra ação prevista no programa será oferecer a capacitação técnica dos profissionais que estão a frente do SuperBike Brasil. "Estamos chegando para somar e não excluir ninguém. Por isso, queremos trazer este respaldo para que as pessoas que já atuam na organização deste campeonato possam receber os cursos e seminários da FIM para adquirirem maior conhecimento técnico e possam atuar em competições de níveis nacional e internacional" - concluiu o gestor da CBM.

 

Segundo Bruno Corano, idealizador do SuperBike Brasil algumas medidas já passaram a ser implementadas na competição. No último final de semana (21 e 22) foi cobrada a obrigatoriedade da licença do piloto na sexta etapa da competição realizada em Goiânia(GO). Outras adequações que envolve processos operacionais, certificações, vistorias, equipamentos, legislações, pilotagem, entre outros, estão sendo estudadas juntamente com a CBM para futuras implementações em prol do avanço da motovelocidade no Brasil.

 

Voltar